Sexo Sem Dúvida

Entrevista com Psicólogo Especialista em Terapia Sexual

Em seu consultório, quais são as reclamações mais frequentes dos casais em relação a sexualidade?

De cada 10 brasileiros que conhecermos, em média 5 apresentam algum problema relacionado a sexualidade, quando problemas no sexo tem solução.

Atualmente a queixa mais frequente em clínica de Terapia Sexual é Diminuição do Desejo, um dos problemas enfrentados por mais da metade dos casais brasileiros e que hoje toma conta de uma parcela significativa da população.

Na sequência atendemos outras Disfunções Sexuais, nas mulheres, ausência de orgasmo, dor na relação sexual, e incapacidade para a penetração;

Nos homens, a dificuldade para a ereção, ejaculação rápida ou ausência desta.

Todos, sintomas eliminados com Terapia Sexual.

Eles costumam ir juntos na primeira consulta? Quem toma mais a iniciativa de discutir o assunto?

Até recebemos casais que chegam juntos, mas em geral, ainda é a mulher que procura mais rapidamente a terapia quando percebe que algo no sexo não está bem.

Mas é fato que tem aumentado o índice de homens que buscam respostas profissionais.

É preciso ressaltar que quanto mais se espera para tratar um problema vivido no sexo, em geral, ele é agravado, assim como em qualquer âmbito da saúde.

PUBLICIDADE

O que você gostaria de aprender?

Selecione a opção abaixo e receba a nossa orientação por e-mail

Quais são os motivos mais comuns que levam os casais a terem problemas na hora do sexo?

Ansiedade por um bom desempenho, medos e cobranças interferem de forma definitiva na intimidade.

Mas stress diário, o descuido com a saúde física e/ou emocional, excesso de rotina e sobrecarga de trabalho são contribuintes importantes para a perda da saúde sexual.

Nas questões físicas, diabetes, anemia, alterações hormonais, uso de determinadas drogas, também somam-se para as queixas.

Mas em geral os casais possuem uma sexualidade muito genitalizada, utilizando os genitais como centro, e isto é um dos complicadores, nem um pouco afrodisíaco, e sintoma de rotina.

Se eles, os genitais, não estão respondendo, não sabem mais o que fazer no sexo. Não percebem que um corpo inteiro dá prazer, que todo o organismo é um potencial de sensações sem limite.

Como devem lidar com isso? Qual a forma de “tratamento”?

A forma mais indicada ainda é a Terapia Sexual. Com profissionais treinados para lidar com problemas no sexo é mais seguro todo e qualquer tratamento.

Atualmente existem diversas técnicas e procedimentos terapêuticos que aliado ao desejo do cliente em melhorar a própria vida se percebe após algumas sessões a evolução acontecendo.

Quais são os benefícios de uma vida sexual saudável?

O mesmo corpo que precisa de alimento para o físico, necessita de afeto para sobreviver. Sexo é uma das formas adultas de se viver o afeto.

Indivíduos com uma vida sexual saudável apresentam melhores índices de Qualidade de Vida. Durante o sexo são produzidas inúmeras mudanças no organismo.

Ativação do sistema imunológico, aumento da auto-estima, produção de hormônios essenciais para a sensação de bem estar e diminuição de dores inclusive.

Orgasmo produz endorfinas, e outras substâncias que melhoram a saúde de músculos lisos, como coração, estômago e outros órgãos. Oxigena o sangue favorecendo memória e concentração.

Do contrário também é verdadeiro, não viver o sexo de forma saudável incentiva a baixa da imunidade, provoca problemas de pele e outros órgãos.

Altera o peso, aumenta a ansiedade e o stress, provoca insônia, tensões musculares, eleva índices de agressividade, bem como aumenta o número de separação de casais quando se tem problemas não resolvidos na intimidade.

Que conseqüências as pessoas podem sofrer se não conversarem mais abertamente sobre o assunto?

Pesquisas apontam que de cada 10 casais, 7 se separam antes dos 10 primeiros anos de convivência por problemas no sexo.

Sobretudo por algo que poderia ser resolvido com apoio profissional. Não conversar sobre sexo, faz as pessoas não se conhecerem e nem conhecerem o(a) parceiro(a).

Falar de sexo deveria ser um assunto normal, como falar de economia da casa, educação dos filhos, ou algo qualquer. Socialmente ainda estamos caminhando para isto.

Entrevista feita com Marlon Mattedi, Psicólogo Especialista em Sexualidade, autor do livro Como Provocar Orgasmos Femininos.

Leia também:

Sair da versão mobile