A primeira pílula anticoncepcional, Enovid-R, lançada no mercado em 1960, foi descoberta por acaso.

Esse achado foi de extrema importância para o sucesso da Revolução Sexual, que pôs fim há séculos e séculos de repressão, sobretudo para as mulheres, e alterou padrões de comportamento, visão de mundo e estilo de vida.

Com a pílula, as mulheres se tornaram donas do próprio corpo, puderam exercer a sexualidade sem o ônus da gravidez indesejada.

As primeiras lançadas no mercado continham altas doses de estrogênio e provocavam efeitos colaterais indesejáveis, como aumento de peso, distúrbios vasculares e dor nas mamas.

A redução de alguns hormônios nas fórmulas mais modernas reduziu significativamente a ocorrência dos efeitos indesejáveis.

Entretanto, seu uso é contraindicado após os 35 anos para as mulheres que fumam, porque aumenta o risco de acidentes cardiovasculares.

Leia também:

Tipos de anticoncepcionais disponíveis no mercado

Hoje em dia, existem mais de 60 pílulas anticoncepcionais disponíveis no mercado, com diferentes tipos e dosagens hormonais.

Quanto mais baixa for a dose, menor a chance de sofrer com os temíveis efeitos colaterais.

Seja em pílulas, injetável ou em adesivos, o anticoncepcional costuma ser indicado por médicos como um bom método para evitar a gravidez ou uma solução para probleminhas como cólicas, cistos nos ovários, dentre outros.

Vamos falar um pouco mais da pílula, já que é o método de contracepção mais usado pelas mulheres e indicado pelos ginecologistas.

Como tomar

A pílula anticoncepcional deve ser tomada no mesmo horário todos os dias. A maioria delas tem embalagens de dois tipos, com os dias marcados para um ciclo de 28 dias.

Para as embalagens de 21 pílulas, um pílula é consumida diariamente por 3 semanas, seguidas por uma semana sem pílulas.

Para embalagem de 28 pílulas, 21 pílulas anticoncepcionais são tomadas, seguidas por uma semana de pílulas placebo para manter o hábito de ingerir as pílulas diariamente.

A mulher na semana que para de tomar a pílula anticoncepcional deverá ficar menstruada.

Olá! Eu sou o Dr. Bot, um assistente virtual e estou aqui para ajudar a esclarecer suas principais dúvidas!

De maneira anônima, converse com nosso robô que já ajudou milhares de pessoas a melhorar o sexo.

Qual das opções quer saber mais?

O que pode comprometer a eficácia das pílulas anticoncepcionais?

  1. Se uma ou mais pílulas forem esquecidas por mais de 12 horas a proteção contraceptiva será reduzida e só voltará a sua eficácia após 14 dias de uso ininterruptos.
  2. Caso não comece outra cartela de pílulas no dia recomendado na bula, ou seja, após o intervalo onde você deverá ter ficado menstruada;
  3. Má absorção, caso ocorra vômito ou diarreia em até 4 horas após a ingestão da pílula, podendo ter perdido certa dosagem;
  4. Interação com outros medicamentos que diminuem os níveis de estrogênio ou progestina, responsáveis pela eficácia, como por exemplo, alguns antibióticos, antidepressivos, etc.

Efeitos colaterais

Hoje em dia, as dosagens baixas de hormônios contidos nas pílulas, não causam tantos efeitos colaterais, mas ainda assim pode ocorrer.

O mais comum é o sangramento durante seu uso, antes do intervalo que se deve menstruar.

A causa pode ser pelo esquecimento da ingestão da pílula em determinado dia, já que se trata de baixas dosagens e por adaptação do próprio organismo aos hormônios, sendo que esse sangramento não deve ser exacerbado e ultrapassar os primeiros 3 meses.

Influência na sexualidade

A pílula anticoncepcional pode afetar a sexualidade da mulher tanto positivamente como negativamente.

Muitas mulheres usando a pílula anticoncepcional aproveitam melhor o sexo devido à redução da ansiedade sobre o temor de gravidez.

Outras mulheres experimentam redução da libido ou diminuição da lubrificação vaginal quando usam a pílula anticoncepcional.

Outros efeitos associados à pílula são corrimento vaginal, redução do fluxo menstrual, dor nas mamas e aumento do tamanho dos seios.

Então qual a melhor pílula que eu devo tomar?

Diante de tantas relevantes, apenas um médico especialista poderá informar qual o melhor método anticoncepcional para cada um, pois varia de pessoa para pessoa, o que é bom pra mim, pode não ser bom para você.

A dica é procurar um médico e lembrar que anticoncepcional tem várias funções, sendo que a mais importante delas é evitar a gravidez, porém não evita Doenças Sexualmente Transmissíveis, apenas a camisinha pode nos proteger de fato contra essas situações, mas se de fato resolver transar sem camisinha com seu parceiro, não custa nada os dois fazerem exames de rotina para garantir a segurança do casal, provando ainda mais o amor, respeito e cuidado entre os dois.

Avalie esse post

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas(3 avaliações, média: 4,00 de 5)
Loading...
Show Full Content

Sobre o Autor Ver Posts

Isabella de Moura Duarte
Isabella de Moura Duarte

Fisioterapeuta pela Faculdade Tecsoma/Paracatu-MG. Crefito 211384-f. Fisioterapeuta Pélvica internacional pela Inspirar, Pós Graduada em Saúde da Mulher pela Universidade Candido Mendes (AVM). Especialista em Disfunção Sexual Feminina, Especializada em Neopompoarismo, Coach de Mulheres e de Relacionamentos pela Sociedade Brasileira de Coaching (SBC), Palestrante. Clínica Pró-Vida Especialidades Médicas - Paracatu/MG.

Comentários

Desejo Sexual

Disfunção Erétil

Dor na relação Sexual

Ejaculação Precoce

Libere Seu Poder

Orgasmo Feminino

Temas Gerais

Close

PRÓXIMO POST

Fechar

3 dicas e 1 mito sobre Sexo Anal

23 de novembro de 2014
Close