O que é Anorgasmia?

Anorgasmia é o nome técnico que damos à ausência de orgasmo e atinge 1 em cada 3 mulheres brasileiras. A grande maioria das causas é de influências psicológicas, muito mais que físicas, e podem ser resolvidas.

Mais de 90% das mulheres que se queixam de Anorgasmia citam, sem perceber, interferências psicológicas.

Leia também:

Quais as principais causas?

As principais causas psicológicas incluem educação limitada sobre sexo, pouco diálogo entre os parceiros, discussões, depressão, ansiedade, pouco conhecimento do próprio corpo, violências sexuais sofridas ao longo da vida, experiências anteriores com dor e/ou traumatizantes, stress, entre outras.

Segundo a Psicóloga Especialista em Sexualidade Gabriela Daltro, “em sua maior parte, a dificuldades estão relacionadas a falta de informação adequada sobre sexualidade, medo e culpa, aversão ao parceiro ou conflitos na relação amorosa, medo de engravidar, entre outros fatores como homossexualidade oculta ou ejaculação precoce do parceiro.”

Estas são apenas algumas das causas de ordem psicológica.

As causas físicas principais são diabetes, alterações hormonais, abuso de determinados fármacos (remédios), entre outras doenças, também tem suas influências, mas constituem ainda a minoria dos casos.

Características de quem sofre com Anorgasmia

Se você encontrar um grupo de 10 mulheres, em média 3 delas, deste mesmo grupo, não sentem ou nunca sentiram orgasmo, em outras palavras, nunca viveram ou não vivem o prazer máximo de uma relação sexual.

É saudável ao organismo humano sentir prazer, porém muitas mulheres não conseguem encontrar o ponto máximo da satisfação sexual, limitando a vivência da intimidade a momentos tensos e de pouco relaxamento.

Algumas mulheres vão para o sexo preocupando-se com o desempenho, outras se auto-avaliando e encontrando duas ou três celulites e estrias dando somente atenção a elas, escolhem posições que não exponham a barriga, as pernas e outras partes.

Fazem do sexo algo pensado e não vivido.

Há mulheres que priorizam o prazer masculino ante o próprio prazer, o que em algumas situações limita o próprio orgasmo feminino.

Com frequência elas encontram um companheiro que também não sabe tocá-las, sentir e viver o corpo feminino.

Lógico, homens também são carentes de educação sexual e na maioria das vezes não conhecem o corpo masculino, muito menos o feminino.

Acham que sexo limita-se ao bom desempenho dos genitais.

Centenas de vezes mais sensíveis que a própria vagina estão inúmeras outras partes do corpo feminino, e estas, raras vezes são estimuladas durante o sexo. Perde-se pontos ricos em sensibilidade.

Mulheres necessitam ser tocadas, mas precisam ser desejadas, ouvidas e estimuladas nos cinco sentidos; em seu corpo inteiro. Desta forma o orgasmo fica muito mais próximo.

Olá! Eu sou o Dr. Bot, um assistente virtual e estou aqui para ajudar a esclarecer suas principais dúvidas!

De maneira anônima, converse com nosso robô que já ajudou milhares de pessoas a melhorar o sexo.

Qual das opções quer saber mais?

Como tratar a Anorgasmia?

A Terapia Sexual, geralmente feita por um psicólogo especialista em sexualidade, é a terapia destinada para tratar problemas no sexo.

Nenhuma outra forma é mais rápida e mais eficaz que a terapia sexual para resolver estes âmbitos, inclusive a Anorgasmia.

Como funciona a terapia sexual para a Ausência de Orgasmo?

Quando você buscar uma terapia sexual vai ver que a solução é mais simples do que imagina, basta uma boa avaliação e um profissional competente e atualizado em Sexologia.

O que parece impossível tende a ficar fácil de compreender e, portanto, ter a queixa solucionada.

A terapia para resolver problemas sexuais é baseada em técnicas da Sexologia mundial. Quando você iniciar, o(a) seu(sua) terapeuta irá com você por 2 caminhos.

Um deles é organizando as questões psicológicas, que são as que mais influenciam na Saúde Sexual, e ao mesmo tempo você irá aprendendo exercícios na parte física que lhe auxiliarão para entender como seu organismo funciona fisicamente também.

Com estas duas linhas de frente é fácil verificar, a cada semana, uma evolução.

A terapia sexual é uma terapia com foco

Você não fará 6 meses, 1 ano, de terapia para depois ver se algo adiantou. Na terapia sexual, feita por um(a) psicólogo(a) especializado, o avanço é constante, em geral, sendo percebido de semana em semana, a cada sessão.

As sessões tem duração em média de 50 minutos cada, e normalmente se faz 1 única sessão por semana.

Quando já se encontra uma melhora da queixa, é possível espaçar para 2 sessões ao mês, visualizando o momento em que a cliente, neste caso, não precisa mais comparecer, pois resolveu o que precisava.

A terapia sexual tem foco, e os objetivos são alcançados, basta experimentar!

Orgasmo se aprende a sentir!

Fontes:

  1. International Society for Sexual Medicine: https://www.issm.info/sexual-health-qa/what-is-anorgasmia/
  2. Sociedade Brasileira de Estudos em Sexualidade Humana: http://sbrash.org.br/site/

Avalie esse post

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas(6 avaliações, média: 3,50 de 5)
Loading...
Show Full Content
Marlon Mattedi
Marlon Mattedi

Psicólogo. CRP 12/03841. Terapeuta Sexual. Pós-graduado em Terapia Sexual pelo Instituto Brasileiro de Sexologia e Medicina Psicossomática de São Paulo (ISEXP/SP) e pela Faculdade de Medicina do ABC-São Paulo/SP. Especialista em Sexualidade pela Sociedade Brasileira de Estudos em Sexualidade Humana (SBRASH). Especialista em Orientação, Terapia Sexual e de Casal pela Fundação SEXPOL de Madrid-Espanha - Instituto vinculado a Sociedade Européia (FES) e a Associação Mundial para a Saúde Sexual (WAS). Secretário Geral da Sociedade Brasileira de Estudos em Sexualidade Humana (SBRASH) Gestão 2016-2017 e co-fundador do Portal Sexosemduvida.com.

Comentários

Desejo Sexual

Disfunção Erétil

Dor na relação Sexual

Ejaculação Precoce

Libere Seu Poder

Orgasmo Feminino

Temas Gerais

Close

PRÓXIMO POST

Fechar

Falta de sexo: 11 consequências para o organismo

Close