Ejaculação precoce: Tratamento

Tratamentos, técnicas, exercícios, terapia sexual e posições sexuais. Conheça o que pode auxiliar em casos de ejaculação precoce.

Lembre-se: A ejaculação precoce tem solução.

Índice do artigo

1 – O que pode ser considerado ejaculação precoce?
2 – Como identificar?
3 – Quais as causas principais
4 – Como é feito o diagnóstico
5 – Tratamento com terapia sexual
6 – Medicamentos para retardar a ejaculação
7 – Técnicas e exercícios que podem auxiliar
8 – Posições que podem ajudar
9 – Prevenção
10 – Consequências

O que pode ser considerado ejaculação precoce?

Ejaculação precoce é aquela que ocorre sem controle, antes, durante ou logo após a penetração, sem que o homem consiga ter controle.

Atualmente, segundo o Manual de Diagnóstico e Estatística de Transtornos Mentais (DSM V) – classificação médica nos EUA, a ejaculação precoce é aquela que ocorre em menos de um minuto em 75% ou mais das relações sexuais, por pelo menos seis meses.

Mas fique atento: Definições mais modernas indicam que o foco para uma avaliação correta não deve ser nem na contagem dos minutos sem ejacular e nem no número de penetrações.

Deve-se avaliar se o tempo alcançado está gerando insatisfação aos envolvidos. Sabe-se que um tempo muito curto tende a gerar insatisfação.

A ejaculação precoce pode acontecer em qualquer idade.

Estatisticamente se percebe que quanto mais jovem é o indivíduo, mais aumenta a porcentagem de casos. Conforme a idade vai avançando, os índices em porcentagem vão diminuindo.

De qualquer forma, em qualquer idade ela pode aparecer e precisa ser solucionada, porque somente esperar o tempo passar não é condição suficiente e nem garantia de solução da ejaculação precoce.

Saiba identificar a ejaculação precoce

Podemos identificar a presença da ejaculação precoce caso aconteça antes de penetrar, logo após a penetração, ou segundos após a penetração.

Também quando não há um controle da ejaculação na maioria das relações sexuais, causando insatisfação aos envolvidos.

Entretanto, o tempo de penetração nem sempre é um indício de ejaculação precoce.

Por exemplo, se um homem demorar cinco minutos para ejacular e a sua companhia alcança a satisfação em três minutos, nesta relação sexual, este homem frequentemente não estará insatisfeito.

Já, se este mesmo homem demorar para ejacular os mesmos cinco minutos e a sua companhia alcançar a satisfação em sete minutos, para esta relação sexual este homem poderá ficar insatisfeito, e poderá se considerar precoce.

Ou seja, não é somente o tempo o indicador de ser ou não precoce.

O foco está mais no controle, se ele consegue, ou não, retardar quando desejar e se os envolvidos saem satisfeitos da relação.

Conheça as principais causas da ejaculação precoce

Causa de hábito

É quando o homem condiciona/educa o seu organismo a ejacular rápido sem ele mesmo perceber. Uma das formas de condicionamento é repetir masturbações rápidas.

Muitas vezes começa na adolescência, deixando o organismo habituado a ejacular precocemente sempre que se masturba rapidamente com a intenção de chegar o quanto antes na ejaculação.

Como consequência, ao chegar na idade das relações sexuais, percebe que agora não consegue controlar mais.

Muitas vezes essa frequência de masturbações vem associada a filmes pornôs, que tendem a deixar o tempo para a ejaculação ainda mais curto.

Repetições de comportamento criam hábitos. Então, masturbar-se rapidamente frequentemente cria o hábito de ejacular precocemente.

Causas psicológicas e emocionais

Além do hábito citado acima, a ejaculação precoce pode ser desencadeada por fatores emocionais/psicológicos como:

  • Ansiedade
  • Medo
  • Estresse
  • Cobrança por desempenho
  • Fobia sexual
  • Traumas e violências sexuais
  • Educação repressora
  • Expectativa alta no contato sexual
  • Crises no relacionamento

Essas emoções, sentimentos, experiências traumáticas e educação repressora podem fazer com que a ejaculação precoce também apareça.

Causas Físicas

  • Doenças neurológicas
  • Alterações na tireóide
  • Inflamações e infecções na próstata
  • Desequilíbrios hormonais
  • Diabetes
  • Uso de determinados medicamentos
  • Uso de determinadas drogas estimulantes do Sistema Nervoso Central, por exemplo, cocaína e outras estimulantes

Embora percebidos como uma porcentagem bastante reduzida em relação às causas de hábito e causas emocionais, as causas físicas podem influenciar e devem ser investigadas também.

Drogas ou fármacos

Substâncias estimulantes, sobretudo as que agem no Sistema Nervoso Central (SNC) como algumas drogas ilícitas ou até lícitas, podem influenciar algumas respostas do organismo, incluindo a ejaculação.

Alguns fármacos (remédios) podem ter efeitos colaterais e gerar este desequilíbrio no tempo da ejaculação também.

Entenda como é feito o diagnóstico da ejaculação precoce

O diagnóstico deve ser feito por um profissional capacitado para avaliação. Sempre que puder faça duas avaliações.

Uma com psicólogo(a) especialista em sexualidade para identificar as causas de hábito e causas psicológicas/emocionais, e na sequência com médico(a) urologista ou andrologista para identificar as causas físicas.

Primeiramente, é indicado procurar profissionais que sejam especialistas em sexualidade, que podem ser psicólogos(as) e médicos(as), mas que tenham formação em Sexologia.

Atualmente, a Sociedade Brasileira de Estudos em Sexualidade Humana (SBRASH), que no Brasil outorga o título de especialistas em Sexualidade, só autoriza o título de especialista na categoria Terapia Sexual a médicos ou psicólogos.

Vale lembrar que urologistas e andrologistas fazem avaliações e diagnósticos da ejaculação precoce, mas é decisivo para o diagnóstico correto que o profissional tenha especialização em Sexualidade ou Sexologia.

Nem todos os médicos têm formação em Sexualidade, e por isso nem todos estão capacitados para o diagnóstico correto da ejaculação precoce.

O profissional não precisa ver você ejaculando, ele só precisa do relato dos dados de como acontece a ejaculação precoce para um diagnóstico assertivo e na sequência o direcionamento para a solução.

Tratamento com terapia sexual

A terapia sexual é a terapia feita com um psicólogo/médico capacitado para a solução de problemas no sexo, preferencialmente especialista em Sexualidade Humana.

São utilizadas metodologias, técnicas e conhecimentos desenvolvidos por cientistas e estudiosos da sexualidade humana, e trata, solucionando não somente a ejaculação precoce, mas também outras disfunções sexuais, tanto masculinas como femininas.

A terapia sexual trabalha na reeducação das questões emocionais e de hábito. Na terapia sexual são trabalhados aspectos como:

  • Autoconhecimento
  • Autocontrole
  • Equilíbrio das emoções (mais frequente é a ansiedade) antes e durante o sexo
  • Conhecimento da resposta sexual e como seu organismo funciona no sexo
  • Exercícios de reeducação da velocidade
  • Masturbações lentas e sem pressa

Se desejar, agende uma consulta online com nossa equipe de psicólogos especialistas em sexualidade.

Existem medicamentos para retardar a ejaculação?

Os inibidores seletivos de recaptação de serotonina (também conhecidos como antidepressivos) são indicados por alguns profissionais.

Esses fármacos, usados para tratar casos de depressão e alguns distúrbios de ansiedade, têm como efeito colateral alterar a resposta da ejaculação para alguns pacientes.

No pacote dos efeitos colaterais, um que pode ocorrer é retardar a ejaculação, em alguns casos pode ocorrer a diminuição do desejo sexual, e em outros dificultar até ereções.

Pacientes frequentemente relatam que após parar de tomar estes medicamentos, a ejaculação precoce volta a aparecer.

A Dapoxetina

Ainda na família dos antidepressivos, temos a dapoxetina, que também até o presente momento da publicação deste artigo, não está autorizada no Brasil, nem nos EUA.

Este medicamento também não tem alcançado a eficácia que esperavam os desenvolvedores desta droga, e não tem solucionado definitivamente o problema da ejaculação precoce.

A resolução via remédios (fármacos) ainda está em fase de desenvolvimento, sem soluções definitivas.

Algumas técnicas e exercícios podem auxiliar, e outros nem tanto

Start Stop

A técnica do Start Stop, criada em meados de 1950 nos EUA, consiste em estimular o pênis por meio da masturbação e elevar o nível de excitação até o ponto antes de ejacular e aí parar o estímulo. Por isso Start (iniciar) e Stop (parar).

Essa técnica tende a não funcionar se não houver alguns cuidados, porque em geral os homens, ao praticarem esta técnica, se estimulam e somente param quando estão a ponto de ejacular, e fazem isso diversas vezes, condicionando-se a este movimento: excitação e estimulação para chegar a ejaculação.

Exatamente assim este condicionamento do organismo vai ocorrer no sexo, terá que parar diversas vezes porque o cérebro estará treinado e se excitar e ter que parar o movimento no ponto de ejacular, interrompendo o movimento sexual.

Para esta técnica ser assertiva a parada tem que ser antes de chegar no ponto de alta excitação, e não somente parar no limite próximo da ejaculação.

Assim o cérebro saberá melhor aliviar a excitação, não somente parar quando for ejacular.

Exercício de Kegel e Músculo PC

O músculo PC compõe o assoalho pélvico, parte que está localizada entre o ânus e o pênis e entre o ânus e a vagina.

Este exercício consiste em contrair e relaxar diversas vezes a musculatura envolvida a fim de mantê-la bem exercitada para na situação de ter que controlar a ejaculação precoce, fazer a contração, e em teoria, conseguir parar a ejaculação.

Fazer isso até poderá parar a ejaculação, mas ao penetrar, a vontade de ejacular voltará rapidamente.

Este exercício é ótimo para a incontinência urinária e fecal, melhora a saúde física uroginecológica, inclusive.

No entanto, se o seu organismo e seu cérebro estiverem condicionados e “educados” para a ejaculação precoce, mesmo tendo o assoalho pélvico exercitado e em perfeita saúde, muito provavelmente ejaculará rápido da mesma forma, porque o estímulo para a ejaculação vem de um sinal enviado pelo cérebro.

Contrair o músculo PC pode ajudar a segurar a ejaculação, mas isso não soluciona definitivamente a ejaculação precoce.

Por isso é preciso aprender exercícios de controle da ejaculação, muito antes de ter que usar o PC, aprendidos em terapia sexual.

Pomadas anestesiantes

Alguns profissionais recomendam pomadas, sobretudo com lidocaína, que tem efeito anestesiante.

Porém, isso não soluciona a ejaculação precoce e ainda interfere no prazer dos envolvidos, retirando a sensibilidade do momento.

Não há lógica anestesiar o pênis e perder o prazer do sexo.

Lembre que a pomada anestesiante irá anestesiar também todo local em que o pênis tocar, e afetará a sensibilidade da pessoa que estiver junto.

Pensar em coisas ruins na hora do sexo

Pensar em coisas ruins pode funcionar pois baixa a excitação na hora do sexo.

Porém, além de não solucionar definitivamente a ejaculação precoce, pensar em coisas ruins somente aumenta a probabilidade de desenvolver uma disfunção erétil (Impotência sexual).

Transar sob efeito de álcool ou outras substâncias

Algumas substâncias, incluindo o álcool, que são depressoras do Sistema Nervoso Central (SNC), possuem a capacidade de deixar todas as respostas do organismo mais lentas.

No entanto, elas não solucionam o problema da ejaculação precoce, visto que ao não utilizá-las a ejaculação precoce volta automaticamente.

Por esta razão, não se considera solução o consumo destas substâncias.

Atenção: A repetição de uso de álcool ou outras substâncias para fins de solucionar o problema da ejaculação, além de não solucionar, frequentemente aumenta a possibilidade de desenvolver dependência dos mesmos.

Leia também: Entenda os efeitos de cada droga na sexualidade

Masturbação com ejaculação antes da relação sexual

Após uma ejaculação a tendência é que o homem se sinta menos estimulado, e por este motivo pode retardar um pouco uma segunda ejaculação.

Porém, depois de uma certa idade isso não funciona.

Quando se é jovem esta técnica até pode funcionar, mas com o passar dos anos, depois de uma certa idade, o homem tende a demorar mais para ter uma segunda ereção.

Então, esta técnica não é a solução da ejaculação precoce.

Uso de preservativo

Usar preservativo é sempre importante para evitar as IST’s (Infecções sexualmente transmissíveis), mas não é um método que ajuda na ejaculação precoce.

Alguns homens relatam que ao usar o preservativo sentem menos o estímulo no pênis, e isso os ajuda a retardar a ejaculação, mas isso não soluciona a ejaculação precoce, somente camufla o sintoma.

Já outros falam que o uso de preservativo não interfere em nada, visto que com preservativo continuam sendo rápidos.

Portanto, usar preservativo não é um método considerado eficaz pela ciência para a solução definitiva da ejaculação precoce.

Operação / Circuncisão

Circuncisão é a cirurgia para retirada do prepúcio, que é a pele que recobre a glande do pênis.

Pesquisas científicas têm demonstrado que não há diferença, que indique melhora ou piora, nos casos de ejaculação precoce com esta cirurgia.

Esta cirurgia não é considerada como solução da ejaculação precoce.

Compressão

Essa técnica consiste em comprimir a glande (cabeça do pênis) quando for ejacular.

Ao chegar ao ponto de ejaculação, indicam retirar o pênis, apertar a glande e que isso resolveria a ejaculação precoce.

Agora imagine ter que parar e apertar a glande todas as vezes em que sentir alta excitação. Há quem ficaria mais apertando a glande do que penetrando.

Posições sexuais que ajudam quem tem ejaculação precoce

As posições nas quais o homem tem o controle da velocidade e da profundidade da penetração tendem a facilitar o controle.

Posições que facilitam o controle:

  • Papai e mamãe
  • Em pé
  • Enchendo o pneu
  • Pretzel

Já as posições em que o homem não controla a velocidade, nem a profundidade da penetração, tendem a dificultar o controle.

Posições que dificultam o controle:

  • Cavalgada
  • Cavalgada invertida
  • Coqueirinho
  • Cadeira quente

Importante: A posição “De quatro” é uma posição em que o homem controla a velocidade e profundidade, no entanto, ela tende a dificultar o controle da ejaculação por ser visualmente muito estimulante.

Prevenção

Alguns cuidados podem diminuir as chances de um homem ter ejaculação precoce.

Educação sexual

A primeira e mais eficaz forma de prevenção, onde o adolescente precisa ser orientado a se masturbar devagar, sem pressa, desde as primeiras vezes.

Isso daria segurança e evitaria uma das mais frequentes causas da ejaculação precoce que é o hábito. Treinaria desde cedo o seu organismo a não velocidade.

Cuidar das emoções

Esteja atento a presença da ansiedade e medo, além de outras emoções. A ansiedade e o medo são emoções frequentes em homens que estão com ejaculação precoce.

Ao sentir certas emoções, como as citadas acima, o organismo libera adrenalina na corrente sanguínea, e vale lembrar que a adrenalina é um dos hormônios que mais influencia na ejaculação precoce.

Cuidar da parte física

Algumas questões hormonais podem influenciar, assim como alterações de próstata ou alterações neurológicas.

Então se o seu médico identificar alguma alteração neste sentido, é necessário buscar tratamento com um médico urologista ou andrologista.

Consequências da ejaculação precoce

As consequências para o relacionamento: Afastamento do casal afetando a intimidade, discussões, brigas, desentendimentos, comportamentos agressivos e traição.

Evitar encontros que possam resultar em possibilidade de ter relação sexual é outro comportamento que frequentemente pode aparecer.

Dificuldades sociais até fobia social podem ser desenvolvidas.

As consequências para o indivíduo: Estar com uma disfunção sexual aumenta as preocupações, os medos, as dúvidas e outros sentimentos.

Isso gera alterações na saúde física, com o desenvolvimento de doenças como gastrite, dores de cabeça, tensões musculares, e tantas outras alterações orgânicas.

Inclusive, a ejaculação precoce pode alterar o sono, afetar o desempenho no trabalho e o relacionamento familiar. Ejaculação precoce afeta o indivíduo como um todo.

Fontes:

  • Sociedade Brasileira de Estudos em Sexualidade Humana
    https://sbrash.org.br/tesh/
  • Manual de Diagnóstico e Estatística de Transtornos Mentais (DSM V)
    http://www.niip.com.br/wp-content/uploads/2018/06/Manual-Diagnosico-e-Estatistico-de-Transtornos-Mentais-DSM-5-1-pdf
  • Classification and definition of premature ejaculation
    https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5001991/
  • An Update of the International Society of Sexual Medicine’s Guidelines for the Diagnosis and Treatment of Premature Ejaculation (PE)
    https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4184677/
  • Behavioral Therapies for Management of Premature Ejaculation: A Systematic Review
    https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/26468381/
  • Pelvic floor muscle training in males: practical applications
    https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/24821468/
  • The effect of condoms on penile vibrotactile sensitivity thresholds in young, heterosexual men
    https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/24168347/
  • Current therapies for premature ejaculation
    https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/27179987/
  • Definition of Premature Ejaculation (PE)
    https://www.issm.info/news/sex-health-headlines/definition-of-premature-ejaculation-pe/
Marlon Mattedi

Marlon Mattedi é psicólogo especialista em sexualidade humana e possui 20 anos de experiência clínica. Marlon é pós-graduado em Terapia Sexual, Especialista em Sexualidade, Especialista em Orientação, Terapia Sexual e de Casal. CRP 12/03841.


Posts Relacionados: