Visão geral

Anorgasmia é a dificuldade em sentir orgasmos, mesmo com alta estimulação e excitação. Algumas mulheres com anorgasmia não conseguem nunca atingir o orgasmo, e sentem-se frustradas e angustiadas em relação a isso.

O orgasmo é o clímax sexual e é caracterizado por uma excitação alta seguida de um relaxamento. 

Os orgasmos variam em intensidade e duração, e as mulheres variam na quantidade de estimulação que necessitam para sentir orgasmos. 

Se você está feliz com as sensações de prazer que você sente durante o sexo, não há por que se preocupar. 

Contudo, se você não está satisfeita com o nível de prazer e acredita que não está sentindo orgasmos, fale com um médico ou psicólogo especialista em sexualidade humana sobre a anorgasmia.

Sintomas

O orgasmo é uma sensação física e psicológica de intenso prazer, seguido por uma sensação de relaxamento, podendo sentir também contrações involuntárias do assoalho pélvico, contrações musculares, poucos segundos de uma leve perda de controle racional e outras sensações. 

Cada orgasmo é único, assim como cada mulher é única. Ou seja, não há como definir se com certeza se você sentiu ou não um orgasmo. Só você pode dizer.

Por definição, a anorgasmia é quando a mulher sente-se frustrada e descontente em relação ao clímax sexual, geralmente tendo sentimentos como:

  • frustração
  • dúvida
  • vergonha
  • raiva

Mulheres com anorgasmia podem ter dificuldade em (ou nem conseguir) sentir orgasmos durante a relação sexual ou durante a masturbação.

Tipos de anorgasmia

  • Primária: Nunca sentiu um orgasmo
  • Secundária: Já sentiu um orgasmo, mas hoje tem dificuldade ou não sente mais
  • Situacional: Só consegue sentir orgasmos em determinadas situações, parcerias específicas, lugares específicos
  • Generalizada: Não consegue chegar ao orgasmo em nenhuma situação, independente da estimulação ou excitação

Causas

Pesquisas apontam que menos de 19% das mulheres atingem o orgasmo somente com a penetração do pênis. 

Então, primeiramente é necessário entender se os estímulos estão corretos, pois melhorando os estímulos é possível que o orgasmo chegue mais facilmente. 

Leia também: Quer saber como ter um orgasmo? Sexóloga dá dicas!

O orgasmo é uma reação conjunta de fatores emocionais, psicológicos e físicos. Ou seja, dificuldades em algum destes três aspectos pode causar a anorgasmia.

Causas físicas:

  • Efeitos colaterais de medicamentos como antidepressivos ou ansiolíticos 
  • Diabetes
  • Hipertensão
  • Excesso de drogas ou álcool
  • Dores crônicas
  • Lesão na medula espinhal
  • Esclerose múltipla 
  • Problemas motores como Parkinson, tremores, rigidez, dificuldade em ficar em determinada posição
  • Mudanças hormonais
  • Problemas de atenção e hiperatividade
  • Pouca consciência dos músculos do assoalho pélvico, ou musculatura fraca
  • Dor durante o sexo

Causas psicológicas: 

  • Ansiedade com a performance
  • Problemas de saúde mental, como ansiedade e depressão
  • Estresse
  • Baixa autoestima e autoimagem corporal ruim
  • Crenças religiosas e culturais
  • Culpa
  • Histórico de abuso/violência sexual

Problemas de relacionamento:

  • Falta de conexão com o parceiro(a)
  • Conflitos não resolvidos
  • Falta de comunicação sobre necessidades e preferências sexuais
  • Infidelidade ou quebra de confiança
  • Violência no relacionamento

Diagnóstico

O diagnóstico da anorgasmia feminina é feito por um profissional de saúde com especialização em sexualidade humana. Geralmente ginecologistas e psicólogos.

Durante a consulta o profissional irá fazer algumas perguntas como, por exemplo, sobre seu histórico sexual, relacionamento, cirurgias, medicamentos que possa estar tomando. 

Ao fazer uma avaliação dos sintomas físicos e psicológicos, bem como de relacionamento, o profissional poderá solicitar exames da parte física. 

Não havendo qualquer tipo de causa física, é recomendado investigar as causas psicológicas.

Tratamentos

Anorgasmia tem tratamento.

O primeiro passo para tratar a anorgasmia é buscar um profissional de saúde, geralmente um médico ou um psicólogo, com especialização em sexualidade humana.

Pode haver uma combinação de causas, e somente um diagnóstico preciso poderá levar você ao tratamento adequado. 

Pode haver a necessidade de mudar alguma medicação, ajustes hormonais, tratamento de dores na região pélvica, tudo isso se trata com um ginecologista com especialização em sexualidade.

Quando a parte física está bem, muitas mulheres conseguem bons resultados ao buscar ajuda de um psicólogo terapeuta sexual. 

Na psicoterapia com um(a) psicólogo(a) especialista em sexualidade a mulher poderá aprender como se concentrar, fantasiar e ter melhor estimulação, tratar barreiras psicológicas, emocionais e sociais.

  • Mude o estilo de vida: Adotando hábitos saudáveis como se exercitar, parar de fumar, diminuir o consumo de álcool, ter uma boa alimentação podem diminuir alguns fatores de risco da anorgasmia, como pressão alta e diabetes.
  • Aprenda sobre sexo: Aprender sobre masturbação, autoconhecimento, autoerotismo, conhecer os seus desejos e as suas formas de sentir prazer. 
  • Fale com o parceiro(a): É importante ter uma boa comunicação, deixar claro os seus desejos, fantasias, insatisfações. Uma conversa franca pode ajudar.
  • Cuide do estresse: Se você está sobrecarregada e sentindo-se esgotada, procure melhorar estas questões. Buscar ajuda de familiares e amigos é indicado, bem como ajuda de um psicólogo. 
  • Aumente a estimulação: Sexo não é só penetração. Busque aprender formas de aumentar a sua excitação, pois o orgasmo é consequência de alta excitação.
  • Terapia de casal: Uma terapia com ambos poderá ajudar a solucionar problemas de relacionamento que podem estar interferindo.

Perguntas para fazer ao profissional de saúde

Ao chegar em uma consulta com um especialista, tenha em mente algumas perguntas a fazer, como por exemplo:

  • O que pode estar causando minha dificuldade em chegar ao orgasmo?
  • Quais exames eu preciso fazer?
  • Qual forma de tratamento você recomenda?
  • Meu companheiro(a) deve ser incluído no tratamento?
  • Como se dará o tratamento para a solução?
  • Qual a porcentagem de solução em casos como o meu?
  • Sendo solteira consigo solucionar a anorgasmia? Ou precisa de uma parceria?
  • Sendo com terapia sexual, qual a frequência de sessões mensais/semanais precisarei?

Dicas finais

Aprenda sobre anatomia e fisiologia do orgasmo feminino, aprenda sobre masturbação, descubra formas de fazer sexo sem penetração.

Ao fazer sexo com penetração aprenda como estimular os pontos de alta sensibilidade no seu corpo.

Assista a esta aula sobre orgasmo feminino com Marlon Mattedi, psicólogo especialista em sexualidade humana com mais de 20 anos de experiência no tratamento da anorgasmia.

Fontes:

Avalie esse post

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas(11 avaliações, média: 4,18 de 5)
Loading...
Show Full Content
Marlon Mattedi

Psicólogo. CRP 12/03841. Terapeuta Sexual. Pós-graduado em Terapia Sexual pelo Instituto Brasileiro de Sexologia e Medicina Psicossomática de São Paulo (ISEXP/SP) e pela Faculdade de Medicina do ABC-São Paulo/SP. Especialista em Sexualidade pela Sociedade Brasileira de Estudos em Sexualidade Humana (SBRASH). Especialista em Orientação, Terapia Sexual e de Casal pela Fundação SEXPOL de Madrid-Espanha - Instituto vinculado a Sociedade Européia (FES) e a Associação Mundial para a Saúde Sexual (WAS). Secretário Geral da Sociedade Brasileira de Estudos em Sexualidade Humana (SBRASH) Gestão 2016-2017 e co-fundador do Portal Sexosemduvida.com.

Comentários

Desejo Sexual

Disfunção Erétil

Dor na relação Sexual

Ejaculação Precoce

Orgasmo Feminino

Seja poderosa

Temas Gerais

Close

PRÓXIMO POST

Fechar

Candidíase: O que é? Como Tratar?

Close