Cólica menstrual é uma dor nada agradável. Um problema que atinge 50% das mulheres, e que quem sente sabe o quanto essa dor atrapalha o dia a dia.

Você algum dia já passou por uma situação assim? Ou conhece alguém que passou?

Se este problema atinge você também eu vou te ajudar. No final deste texto vou te passar 11 dicas para facilitar a sua vida e que vai diminuir muito a sua dor.

Experimente, você vai ver que vai muito te ajudar.

Leia também:

Como reconhecer uma Cólica Menstrual

Você facilmente reconhecerá a cólica.

É caracterizada por dor em baixo ventre, na região pélvica (mais conhecida como bacia), que pode vir antes ou durante a menstruação e estar associada com outros sintomas, como:

  • náuseas,
  • diarreia,
  • vômito,
  • cansaço e
  • dor de cabeça.

Por que a Cólica acontece?

Todo mês o corpo da mulher é preparado para receber um bebezinho, criando uma camada no endométrio(dentro do útero) para nutrir e proteger o embrião.

Quando isso não ocorre, hormônios no nosso corpo agem para eliminar essa camada, descendo em forma de menstruação.

“O hormônio responsável por contrair o útero nesta fase é a Prostaglandina, e o aumento dele é o que causa a dor pélvica nesse período do mês.”

Sinal de Alerta: Quando você deve se preocupar?

Cólica Primária:

Em algumas mulheres, essas contrações são mais intensas e pode levar a um fluxo menstrual maior.

Quando a cólica é causada apenas devido à elevação da Prostaglandina, caracterizada como cólica primária é uma condição considerada normal.

Cólica Secundária:

Na cólica secundária, a dor é provocada por doenças inflamatórias, como a endometriose, em que partes do endométrio se encontram em outras regiões do corpo, sofrendo as mesmas influências dos hormônios e causando dor intensa.

Outras condições podem levar a cólicas incapacitantes, como:

  • miomas uterinos,
  • adenomiose,
  • fibromas uterinos, etc.

Por isso, fique atenta se você estiver sentindo também outros sintomas como:

  • dor acíclica (não tem momento para aparecer, mesmo sem menstruar),
  • dor ao evacuar,
  • dor na relação sexual, dentre outros.

Leia também: 9 Causas de Dor na Relação Sexual

O acompanhamento do seu ginecologista nestes casos é indispensável. Ta ok?

Aliviar a dor da cólica menstrual

Como aliviar a dor da Cólica Menstrual

Preparamos 11 dicas que vão te ajudar a aliviar a dor da cólica menstrual.

“Preste atenção no seu corpo e nas suas reações. Cuide sempre de você”.

1) Se conheça!

Descobrir em qual período do mês a dor mais acontece pode te ajudar a não ser pega de surpresa.

Faça o seguinte, anote na sua agenda ou em aplicativos de celular o período do mês que a cólica sempre aparece.

Dessa forma, você poderá usar compressas ou realizar as outras dicas antes mesmo da cólica aparecer e evitar que sinta a dor!

Leia também: Como calcular o período fértil e contar o ciclo menstrual

2) Compressa quente

Uma compressa no baixo ventre é muito bem-vinda para aliviar a dor.

O calor ajuda nossos vasos sanguíneos a aumentarem de calibre, a dilatar, facilitando a passagem do sangue.

Isso vai proporcionar um relaxamento no seu corpo também.

3) Banho de assento com água morna

Numa bacia grande (de preferência esmaltada, evite plástico ou alumínio), coloque água morna e fique sentada por 20 minutos.

Da mesma forma que a compressa, o calor irá relaxar os músculos de toda a região pélvica, inclusive os da região íntima.

E não se preocupe quanto ao fluxo menstrual: ele é limpinho, rico em nutrientes, e mesmo que saia um pouquinho durante o banho de assento, não vai te fazer nenhum mal!

Olá! Eu sou o Dr. Bot, um assistente virtual e estou aqui para ajudar a esclarecer suas principais dúvidas!

De maneira anônima, converse com nosso robô que já ajudou milhares de pessoas a melhorar o sexo.

Qual das opções quer saber mais?

4) Aposte na camomila

Você pode associar o chá de camomila com as dicas anteriores, fazendo compressas de pano com camomila dentro para esquentar e usar em baixo ventre.

Da mesma forma, você pode pegar duas mãos cheias da erva, fazer um chá e misturar no banho de assento.

A camomila tem propriedades analgésicas, relaxantes e anti-inflamatórias, e vai te ajudar a dar um alivio da dor mais imediato.

5) Tome chás

Erva-cidreira, hortelã, camomila e canela tem propriedades calmantes que ajudam no combate da cólica menstrual.

6) Realize movimentos da região pélvica

Em posição de 4 apoios, você pode realizar movimentos para frente e para trás.

Em pé, você pode realizar movimentos girando a pelve para um lado e para o outro.

A mobilização facilita a circulação sanguínea.

Posturas para aliviar a cólica menstrual

7) Faça automassagem

Massagem na região pélvica relaxa os músculos que geralmente ficam tencionados nessa fase do mês.

Massagear os pés também ajudam, pois na medicina chinesa existem pontos que ligam ao útero, melhorando a dor através da reflexologia.

Para facilitar o deslize, utilize hidratantes ou óleos que você utiliza no seu dia a dia.

8) Cuide da alimentação

Prefira os alimentos frescos e mais leves, como frutas vermelhas e os vegetais folhosos.

Evite os que são ricos em açúcar, os gordurosos e as frituras, pois estes aumentam a produção dos hormônios responsáveis pela dor.

Evite cafeína, enlatados, comidas muito condimentadas ou apimentados. Para mais orientações é essencial a consulta com um(uma) Nutricionista.

9) Faça atividade física

Abuse dos alongamentos (principalmente das pernas e da coluna) e prefira os exercícios aeróbicos, como caminhadas, ioga ou dança.

A atividade física proporciona liberação de endorfina, um analgésico natural.

10) Descanse e evite o estresse

Situações que possam irritar você aumentam a intensidade da dor.

O descanso te proporcionará um relaxamento em todo o corpo e diminui o sintoma da dor.

11) Faça fisioterapia pélvica

A Fisioterapia Pélvica trabalha com recursos analgésicos, através de eletroterapia, massoterapia, mobilizações, termoterapia, fototerapia, dentre outros, que irão te proporcionar bem-estar a longo prazo, por liberar as regiões da sua pelve que se encontram mais tencionadas e irá aumentar o seu limiar de dor.

Além disso, o Fisioterapeuta Pélvico irá cuidar de toda a sua região íntima, prescrevendo exercícios para os músculos dessa região e te dando orientações para fazer em casa que irão diminuir a intensidade das cólicas.

Movimentos da região pélvica

Não esqueça que o acompanhamento ginecológico é de suma importância.

Automedicação pode ser prejudicial ao seu organismo, pois irá te deixar condicionada a sempre precisar desta forma de alívio e podendo, inclusive, não ser mais suficiente, além de diversos efeitos colaterais.

Fique atenta para qualquer sintoma que ultrapasse o nível de normalidade.

Cólicas incapacitantes podem estar relacionadas a doenças que apenas a consulta médica irá te ajudar através de exames de sangue e imagem para um melhor diagnóstico.

E claro, qualquer dúvida que você estiver eu estou aqui para te ajudar, fique sempre a vontade para nos perguntar.

Fontes:

  1. GERZSON, Laís Rodrigues et al. Physiotherapy in primary dysmenorrhea: literature review. Revista Dor, v. 15, n. 4, p. 290-295, 2014.
  2. PRAZERES, Lívio Matheus Aragão dos; BRITO, Renan Guedes de; RAMOS, Erika Silva. Regular physical exercise, sedentarism and characteristics of dismenorrhea and premenstrual syndrome. Fisioterapia em Movimento, v. 31, 2018.
  3. CARDOSO, Thaís Soares Munguba. A equivalência da dança do ventre à cinesioterapia na terapêutica da dismenorréia primária. Fisioterapia Brasil, v. 4, n. 2, p. 96-102, 2019
  4. LEITE, Maria Clerya Alvino; DA NÓBREGA, Maria Mirtes. A DISMENORRÉIA PRIMÁRIA COMO PROBLEMA DE SAÚDE PÚBLICA. Revista de Ciências da Saúde Nova Esperança, v. 6, n. 1, p. 8-19, 2008.

Avalie esse post

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas(3 avaliações, média: 5,00 de 5)
Loading...
Show Full Content
Juliana Maria Barros Torres
Juliana Maria Barros Torres

Fisioterapeuta pela Universidade Ceuma (MA). CREFITO 246069-F. Pós-graduanda em Fisioterapia em Terapia Intensiva pela Faculdade Redentor (RJ). Especialista em Fisioterapia Pélvica/Uroginecologia Funcional pela Faculdade Inspirar (SC). Secretária da Câmara Técnica em Saúde da Mulher do Conselho Regional de Fisioterapia - 16ª região (MA). Fisioterapeuta Pélvica da Clínica Estação Corpore - São Luís (MA)

Comentários

Como enlouquecer um homem na cama

Desejo Sexual

Disfunção Erétil

Dor na relação Sexual

Ejaculação Precoce

Orgasmo Feminino

Temas Gerais

Close

PRÓXIMO POST

Fechar

Os 8 maiores fetiches masculinos e femininos

Close