Você já sentiu sua vagina seca? Sentiu o desconforto da falta de lubrificação? Se já passou por isso ou está passando sabe o quanto é desagradável não lubrificar no momento do sexo.

Mas não se preocupe, vou dar dicas a você que lhe ajudarão com toda a certeza.

Sempre que você estiver lubrificada, vai perceber que a lubrificação abre caminho para uma penetração mais fácil e sem dor.

Você sabia que de cada 10 mulheres praticamente 2 relatam ter secura vaginal?

Se esse é o seu caso, calma! Separei várias dicas pra lá de escorregadias e que vão deixar o sexo gostoso outra vez.

Leia também:

Bem, antes de tudo vamos saber mais sobre a lubrificação vaginal?

A lubrificação vaginal é um liquido produzido no colo do útero (cervix), que umedece a vagina e remove células mortas.

Essa umidade é ligeiramente ácida (pH ácido – de 3,8 a 4,2) e isso ajuda a prevenir possíveis infecções nesta área.

Durante a excitação sexual, a lubrificação ganha uma ajuda extra das Glândulas de Bartholin (localizadas na entrada da vagina, uma de cada lado).

Além de todas estas funções a lubrificação tem como fator principal no sexo, deixar o canal da vagina escorregadio para o pênis entrar.

Olá! Eu sou o Dr. Bot, um assistente virtual e estou aqui para ajudar a esclarecer suas principais dúvidas!

De maneira anônima, converse com nosso robô que já ajudou milhares de pessoas a melhorar o sexo.

Qual das opções quer saber mais?

Principais causas da falta de lubrificação

1) Falta de Imaginação

Arnaldo Jabour escreveu a letra e Rita Lee canta algo que deveríamos ter como um mantra. “Sexo é imaginação, fantasia…” e lubrificação também.

A mente alimenta o físico a funcionar melhor, então nada de preguiça casal! Use a fantasia, imagine, solte-se na intimidade, seja quem você quiser ser. Isso ajuda a lubrificação.

Dicas para combater o ressecamento vaginal

2) Falta de preliminares

Preliminares, fantasias e muita imaginação vão dar um up na excitação e aumentar o fluxo sanguíneo para a região genital.

O sangue na região genital é o principal ingrediente na formação da lubrificação vaginal. Reduzir as preliminares e ir logo para a penetração é dar chance para a falta de lubrificação.

Leia também: O que fazer nas Preliminares

3) Alteração hormonal

Além da falta de preliminares ou por questões psicológicas como o estresse, cansaço, ansiedade, a lubrificação também sofre com as variações hormonais em várias fases da vida da mulher.

Um hormônio muito importante para manter a lubrificação é o estrogênio, porém ele pode sofrer uma queda e provocar o ressecamento vaginal nas seguintes fases e eventos da vida da mulher:

  • Parto e amamentação
  • Cirurgias para retirada dos ovários
  • Tratamento de radiação ou quimioterapia para câncer
  • Medicamentos anti-estrogênio usados para tratar endometriose
  • Menopausa

Além disso, outros fatores podem provocar ressecamento também:

  • Medicamentos para alergia e frio e certos antidepressivos
  • Síndrome de Sjögren (doença auto-imune que ataca as células do organismo que produzem umidade)
  • Experiências negativas em relação ao sexo
  • Diminuição do desejo

Dicas para driblar o ressecamento vaginal

Seja devido a uma causa física ou devido a uma causa psicológica, a secura vaginal pode ser extremamente desconfortável.

Com a secura vaginal, você pode ter sintomas como coceira, ardência e inclusive relações sexuais dolorosas. Um verdadeiro transtorno, não é mesmo?

Então fique ligada nessas dicas para driblar o ressecamento!

Dica 1:

Se o seu ciclo menstrual é irregular ou se você apresenta ressecamento procure um ginecologista. Ele (a) irá investigar a causa e propor um tratamento adequado.

Leia também: Como calcular o período fértil e contar o ciclo menstrual

Dica2:

Se você já foi em um ginecologista e fisicamente/hormonalmente está tudo bem, procure um Terapeuta especializado em tratamentos para problemas no sexo, podendo ser um Fisioterapeuta Pélvico ou um Psicólogo especialista em Sexualidade.

Estes profissionais certamente lhe ajudarão na solução deste seu problema.

Tratamento para falta de lubrificação vaginal

Dica 3:

Lubrificação não é termômetro de amor!

Muitas mulheres não têm tanta lubrificação e isso pode ser melhorado através de lubrificantes artificiais. Mas atenção na dica abaixo para escolher certo seu lubrificante!

Dica 4:

O lubrificante deve ser escolhido de acordo com a necessidade de cada uma! Definitivamente não há um lubrificante ideal para todas.

As mulheres têm diferentes necessidades e podem apresentar diferentes problemas de saúde íntima.

Dica 5:

De olho no rótulo! Se você é propensa a irritação vaginal ou infecção, evite essas substâncias utilizadas em lubrificantes:

  • Estimulantes (Ex: mentol),
  • Agentes de aquecimento (Ex: propilenoglicol),
  • Álcoois (Ex: acetato),
  • Conservantes (Ex: parabeno)
  • Espermicidas
  • Aromatizantes

Como escolher um lubrificante

E aí, qual lubrificante escolher?

Veja abaixo qual o lubrificante se adapta melhor a você. E atenção aos que não reagem com o látex do preservativo, hein!

Lubrificantes a base de silicone

Não reagem com o látex da camisinha e geralmente são livres de parabenos. Normalmente não causa irritação ou alergia na pele.

Os lubrificantes de silicone são mais difíceis de limpar que os lubrificantes à base de água. Para removê-lo, lave com água morna.

Lubrificantes à base de água

Não reagem com o látex, porém muitos possuem em sua fórmula propilenoglicol (pode causar irritação e ardência para algumas mulheres).

Devem ser reaplicáveis, pois não têm o efeito duradouro.

Dica de lubrificante: No Brasil existem várias marcas ótimas para lubrificantes à base de água, como KY da Johnson & Johnson, Olla Gel, K-Med, Intra Gel, todas com propilenoglicol em suas fórmulas.

Se algum deste causar ardência, você pode procurar o lubrificante Sliquid que é a base de água também, mas sem parabeno ou propilenoglicol. São uma maravilha!

Leia também:

Lubrificantes à base de óleo: são derivados de materiais naturais (por ex.: óleo de coco, azeite). Não podem ser usados com preservativos de látex.

Atenção na hora de removê-los, pois eles não são fáceis de se dissolver na água. Retire bem após o ato sexual. Caso você opte pelo óleo de coco prefira os orgânicos.

EVITE

Lubrificantes à base de petróleo: derivadas de petróleo, podem aumentar o risco de irritação, infecção bacteriana a alergia vaginal tecidual.

Ex: vaselina (vaselina), óleo mineral. Esses não podem ser usados com preservativos de látex. Evite sempre!!!

Esses são para evitar, pois tem risco de ser tóxico para o tecido vaginal e até em outras áreas também como o ânus no sexo anal!!!

Agora que você já escolheu o lubrificante que se adapta a você é só usá-lo na relação sexual e aproveitar o prazer do deslizar.

Mas se ainda assim você tiver dúvidas, ou dificuldades com relação a lubrificação, eu estou a sua total disposição para lhe ajudar, quando você desejar.

Busque sempre uma solução. Você não precisa sofrer com a falta de lubrificação. Bom sexo e bons momentos.

Avalie esse post

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas(26 avaliações, média: 4,23 de 5)
Loading...
Show Full Content
Mônica Lopes
Mônica Lopes

Fisioterapeuta. Crefito 2 43280-F. Especialista em Fisioterapia Pélvica. Especialista em Saúde da Mulher (COFFITO). Membro da Associação Brasileira de Fisioterapia em Saúde da Mulher (ABRAFISM). Membro da Associação Brasileira de Fisioterapia Pélvica (ABFP). Membro da Sociedade Internacional de Medicina Sexual (ISSM).

Comentários

Desejo Sexual

Disfunção Erétil

Dor na relação Sexual

Ejaculação Precoce

Libere Seu Poder

Orgasmo Feminino

Temas Gerais

Close

PRÓXIMO POST

Fechar

Tudo o que você precisa saber sobre o clitóris

23 de novembro de 2018
Close